sábado, 19 de janeiro de 2008

Ensopado português

Boas tardes coleguinhas!
Bem, após o trabalho terminado, é tempo de lazer. Este até sabe melhor quando é merecido! A formação correu bastante bem! Quer dizer... podia ter sido melhor... é que na quinta feira aconteceu uma coisa um pouco estranha:
Estava a chover. Ele não estava à minha frente como era costume, estava atrás de mim. Perante esta situação diferente, eu corri, mas quando dei por mim, pumba! Já estava. Ele perguntou se eu me tinha aleijado. Eu sorri, ainda com dores, e disse que não.
Explicando melhor, para não ficarem com ideias estranhas: Ao lado da sala de formação havia um terraço onde se podia fumar. Na 5ta feira estava a chover bastante, mas como estava vento, se contornássemos uma pequena parte do edifício conseguíamos chegar a uma parte onde não havia chuva de todo. Eu e um dos meus alunos éramos os únicos que fumávamos, e quando saí para fumar um cigarro vi-o do outro lado do edifício (o tal lado em que não chovia. Era vidraçado e conseguia vê-lo). Então, decidi mandar uma corrida até ao outro lado. A questão é que havia umas zonas do terraço que tinham daquele metal que quando chove e quando temos sapatos escorrega bastante. Ao tentar fazer a curva os meus pés deixaram de estar perpendiculares com a terra. Ainda me dói. O gajo foi mais inteligente e saiu pela janela... Enfim, do mal o menos, não me sujei. Pronto, nem tudo pode correr bem, né?

Hote tive tempo para visitar Dublin. Quando parti do hotel não estava a chover. "Porreiro" pensei eu. Os anjinhos estão do meu lado! Passado algum tempo, começou aquela chuvinha miúda. Nada que valesse apena sacar do guarda chuva. E lá andei eu, subi pela Rathmines Road, depois andei um pouco pelas margens do Grand Canal, subi até ao St. Stephen's Green park e andei 1 bocado pela zona comercial de Dublin, a Grafton Street, passei por montes e montes de monumentos (grande maioria igrejas), fui até à fábrica da Guiness e voltei, estafado e ensopado. Pelo meio deste percurso todo vi um café que tinha umas chávenas de café muita giras. Como não tinham à venda as chávenas de café e a simpatia deles não deu para oferecer a porcaria da chávena, tive que a trazer. Foi a partir daí que a chuva miúda passou para uma chuva adolescente, e decidi abrir o guarda-chuva. A certa altura, como estava a olhar pro mapa, e como os meus pés estavam demasiado secos, decidi involuntariamente meter os pés dentro de uma daquelas poças de água valentes. Então olhei para cima e pensei "porra! eu vou devolver a chávena de café, mas pára de brincar comigo!" O karma é uma coisa engraçada. Parece mesmo que quando fazemos coisas boas, acontece-nos coisas boas, quando fazemos coisas más, acontece-nos coisas más. Enfim, decidi desta vez ignorar o karma, até porque a chávena é gira e eu faço colecção de chávenas de café.

Depois de ter estado à frente da Storehouse da Guiness e não entrar (14€ por uma visita guiada, não obrigado :P), depois de ter estado mais ou menos perdido (afinal não estava, só pensei que estava... por várias vezes :P) e após estar mesmo ensopado, lá cheguei ao hotel :D.

Posso agora dizer que estou pronto para ir para o calor que dizem que está em Lisboa :)

P.S. : GANDA POST! Aposto que não vão ter paciencia de ler esta porra toda :P

P.S. 2: Só mesmo porque gosto muito da sigla P.S. :D :D :D
Abraços e beijos,
Bin

2 comentários:

Sabicho disse...

AHAHAHAHAH
Realmente... vcs arranjam com cada uma! Eu, no dia em que achei que ia precisar, comprei um para-agua na saída do metro da Plaza de Castilla... isto foi há 3 semanas... e ainda hoje não abri o dito cujo!!

Mas esta cidade... tem que se lhe diga! Entonces por la noche... ui ui! :p

Sérgio disse...

Realmente só tu para te ires mandar p chão para a Irlanda... Mas vá, menos mal! Ao menos o outro gajo nã viu a cena! :)

Quanto à Storehouse da Guiness, na minha opinião foste anjinho! :P Não é todos os dias que se vai a esses sítios, e acho que devias ter aproveitado! Agora, para voltares a ver, provavelmente pagas a viagem! =)

Abraços,

Sérgio