domingo, 28 de setembro de 2008

Karting e Ponto Cruz

São duas coisas que aparentemente não tem nada a ver... E na verdade, não têm mesmo! :P

No entanto, são duas palavras que espelham um pouco do que foi este fim de semana, que começou Sábado bem cedo, pelas 7h da manhã, quando me levantei. Evento de Karting no Carregado, mais precisamente no Campera Karting! Não que apeteça muito fazer este tipo de coisas, mas vejam os sacrifícios que se fazem pela empresa... Não corri, mas apoiei amigos e colegas que se aventuraram na pista, quais destemidos pilotos, contra equipas de prós, assim-assim e nulidades. :)

Uma prova de Karting tem sempre coisas giras, mais não seja os espetanços! Tivemos alguns do nosso lado, mas também vimos outras equipas fazerem figuras menos honrosas durante o seu tempo de prova. Lutámos com tudo o que tínhamos, sangue, suor e lágrimas, e tivesse a prova sido apenas composta pela qualificação, tínhamos ficado em 3º lugar!

Mas não foi...

Conseguimos uma classificação com um dígito apenas, um belo de um 9º lugar, e uma série de experiências que à primeira vista não nos lembraríamos, tais como:
  • Os pulinhos - Aparentemente, e quem o fez confirma, ganha-se velocidade se saltarmos um pouco ao sairmos das curvas, porque o Kart consegue acelerar mais rápido! As figuras da malta foram giras, e muitos deles certamente ouviram uma voz nas suas cabeças enquanto saltavam, dizendo "Go boy, Go!" ou "Run Forrest, RUN!" :)
  • Fazer curvas com dentes cerrados - Durante a prova o corpo do piloto é a extensão natural do carro (Ok, as vezes não...). Diz quem viu que os pilotos que cerravam os dentes nas curvas tinham muito mais controlo sobre o veloz corcel! ;)
  • Cheerleaders - São importantes, e não estavam lá! :) O máximo que se conseguiu foram colegas a dar apoio, e a cara dos pilotos era algo como "Fónix, andamento mas é, toca a fugir rápido daquela gente, que são feios!".

Uma série de lições aprendidas numa manhã fora do normal, que acabou num almoço. E durante as refeições diz-se muita coisa e partilham-se também vários aspectos, dos quais à partida não se desconfiaria. A conclusão foi que cerca de metada dos presentes no almoço já tinha feito alguma das seguintes coisas: Ponto-Cruz, Esmirna ou Arraiolos! Uma mesa cheia de machos viris prontinhos por trocar dicas sobre meio-ponto, ponto gobelet ou ponto cruz! :D As coisas que se descobrem!

Uma das pessoas fui eu, e estou disposto a afirmar que o facto de saber fazer ponto-cruz não me faz sentir de forma nenhuma inseguro da minha sexualidade! ;) E não insinuem coisas, porque eu tenho sentimentos, TÁ? :D

Como deu para perceber, dois temas aparentemente imiscíveis acabaram juntos numa salganhada de sábado de manhã. E como alguém dizia: "Alguém tem a Marie Claire de Junho? É que falhei essa..."

Bom início de semana para todos!

4 comentários:

Piçarra disse...

E não esquecer a grande táctica do "escorrega no banco" para tornar o kart mais aerodinâmico! Muito importante! :D

Piçarra disse...

Os sacrifícios que se fazem pela camisola, realmente.....

Bolos disse...

O facto de saberes fazer ponto cruz não te faz sentir ainda mais inseguro da tua homossexualidade não é? :P

Fernando Batista disse...

Sobre o ponto curz admito que fiquei espantado com o número de praticantes de tão difícil e misteriosa arte para mim.

Sobre os colegas que correram, só tenho a dizer que foram uns bravos, mesmo quando fizeram TT com um kart (algo que não é fácil de guiar).

Ó Sérgio bem que punhas uma foto dos bravos condutores.