quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Change we need...

E no dia 4 de Novembro de 2008, fez-se história nos Estados Unidos da América. Barack Obama vence as eleições com uma margem confortável, e coloca os democratas no poder 30 e tal anos depois de Jimmy Carter da mesma forma que este foi eleito: alguém pouco conhecido que ganha a cadeira mais desejada do Mundo.

A eleição de Obama é sem dúvida uma boa notícia, e não só para nós. Na prática todo o Mundo vai lucrar com isso. Ou pelos menos é essa a ideia. De qualquer forma, é bom ver um povo novamente unido; é bom ver vários chefes de estado voltarem a mostrar vontade de colaborar com um país agora liderado por alguém sem cordas presas aos braços, e que tem uma mente própria. E mesmo entre nós, quantos não estávamos a torcer pela vitória de Obama? E nem somos americanos... Que venham esses melhores dias!

O que se passou na América é algo facilmente mapeado para uma realidade empresarial. Muitas vezes estamos em organizações onde achamos que várias coisas podiam ser mudadas. Todas elas têm coisas boas, e coisas más. Todas têm algo mais a ser melhorado. E todos temos o dever de tentar contribuir ao máximo para tal.

Na minha opinião as empresas só têm a ganhar em ouvir os colaboradores. Como costumo dizer, palmadinhas nas costas não pagam contas de supermercado, mas nem tudo roda à volta de €. Existe, pelo menos para pessoas com feitio semelhante ao meu, algo mais. Um sentir que fazemos parte de uma equipa, que somos ouvidos, que conseguimos fazer algo mais por nós e pela equipa. E isso não se paga, ou existe ou não existe. É, no entanto, um barco que tem de ser remado a dois: a empresa tem de estar aberta a ouvir o que os colaboradores têm para dizer, e estes têm de o fazer. E cabe à empresa alterar e melhorar o que puder, onde puder.

No limite, podemos ser todos Obamas :)
Temos é de estar dispostos a fazer por isso e a trabalhar como equipa, pela equipa. Como já disse:

Por vezes as micro-ideias fazem macro-diferença!

Um bem haja para todos,

Sérgio

5 comentários:

Tiago Bernardo disse...

Ó artolas, e o Clinton, era comuna?

Sérgio disse...

Tens toda a razão, gralha minha.

Queria referir-me mais ao facto da eleição do Jimmy Carter ter sido muito semelhante à de agora, uma pessoa desconhecida antes das eleições ser eleita presidente dos Estados Unidos.

De qualquer forma, gralha :)

Sabicho disse...

Grande Sérgio... é com pessoas a acreditar nessas coisas que as coisas podem melhorar, e assim espero que seja o futuro dessa empresa onde trabalhas ;)

Pacheco disse...

O Obama vai ter que trabalhar que nem um escravo :p

Sérgio disse...

Lol... Mais um bocadinho dizes que está geneticamente predisposto a isso, queres ver...

Vamos evitar a piada fácil e sem conteúdo... :P